Melhores programas de código aberto

Os softwares de código aberto oferecem ótimas opções gratuitas para você. Se quiser obter dicas sobre o assunto, o agregador de programas livres SourceForge é um ótimo espaço para se manter atualizado.

Se procura dicas específicas para PC, o blog Lifehacker é o seu destino. Já se sua plataforma é Mac, aqui você vai encontrar ótimas opções.

Pode-se ir além e mudar seu sistema operacional para o open source Linux. Não é complicado. Hoje, você pode instalar o Ubuntu, uma das versões mais populares do Linux, utilizando o Windows. Além da facilidade de instalação, você poderá continuar com os dois sistemas operacionais.

 

Saiba quais vídeos foram retirados do Youtube

Não há site como o Youtube. O serviço de hospedagem de vídeos se transformou numa verdadeira midiateca global. Simplesmente você encontra -quase- tudo por lá.

Muitos não respeitam direitos autorais, é verdade. Mas mesmo quando são excluídos, geralmente são colocados de volta por outros usuários.

Um bom site para monitorar isso é o YouTomb. Com ele, é possível saber quais os vídeos que foram retirados do Youtube.

Acolha uma banda


Dica da coluna Conexão Pop, do jornal Folha de S. Paulo:

Acolha uma banda. É mais ou menos essa a idéia por trás do projeto Better than the Van (betterthanthevan.com).
No site, músicos procuram lugares para ficar nas cidades em que excursionarão. É parecido com o Couch Surfing www.couchsurfing.com, mas voltado apenas para bandas.

Posterous, um lifestream descomplicado

Registrar-se em alguns serviços on-line acaba sendo um exercício de paciência e confiança extremada. Em muitos casos é necessário fornecer dados pessoais – os nacionais pedem até RG e CPF – e, não raro, os formulários são imensos.

Recentemente, alguns sites buscaram um caminho oposto. Páginas como Muxtape (compartilhamento de músicas) e Vimeo (plataforma de vídeo) – que tem os mesmos criadores, por sinal – possuem uma forma de cadastro bem enxuta.

Mas são serviços focados. Se procura uma resposta mais completa, o Posterous é a solução. O site é ideal para quem disponibiliza conteúdo online, principalmente quando isso exige urgência (uma cobertura online, por exemplo).

Além do cadastro ser simples, a atualização também é descomplicada. Basta enviar para um endereço de e-mail que o arquivo é publicado (vídeo acima). Ademais, ele “espalha” as suas atualizações. Ou seja, uma foto sua que posta por lá pode ir parar no seu perfil do Flickr. O sistema de autopost do Posterous possui integração com vários serviços digitais.

No soup for Microsoft?

Veja, abaixo, o comercial que Jerry Seinfeld fez para a Microsoft. Até o momento, as críticas foram, na maioria das vezes, negativas.

Apesar da soma de talentos (na direção, Michel Gondry), a primeira etapa da tentativa de tornar a Microsoft mais “cool” não surtiu o efeito desejado.

Google lança hoje o Google Chrome, seu navegador de internet

Hoje o Google promete lançar seu navegador de internet (veja imagens e link para download abaixo). Google Chrome estará disponível em versão beta em mais de 100 países. O programa, de código aberto, sairá primeiro para Windows. Em seguida virão as versões para Mac e Linux.

Tentará conseguir uma fatia de um mercado dominado amplamente pela Microsoft. Seu software de acesso à internet, Internet Explorer, é utilizado por 73,75% dos internautas. O Firefox, da fundação Mozilla, apesar do grande destaque obtido com a versão 3 do programa, aparece em segundo, com 18,41%. Os dados são da NetApplications.

Curioso é que foi criada uma história em quadrinhos sobre o novo browser (Google Chrome comic book). Há também um mini-FAQ aqui.

Download
Google Chrome

Google Chrome Screenshots


Logo.


Screenshots do Google Chrome (página inicial do serviço).


Ferramenta para auto-completar termos (chamada “omnibox” ).


Página inicial mostra 9 thumbnails de sites para acessar.


Integração com serviços do Google, como Google Calendar: possibilidade de criação de atalhos no menu inicial ou Quick Launch Bar.


Zoom nas tabs abertas; similar ao navegador Opera.


The Google Chrome task manager.


Google incognito permite mais privacidade.



Uma estrela na barra de endereços indica os sites marcados como favoritos; similar ao Firefox 3.


O menu de opções

Via Blogoscoped

Continuar lendo Google lança hoje o Google Chrome, seu navegador de internet

SocialU, o portal das redes de relacionamento

Myspace, Orkut, Facebook, Last.fm, LinkedIn… Com tantos sites de relacionamento, fica difícil realmente se dedicar a cada um deles. Ou seja, na maioria dos casos, o visitante atualiza seu perfil apenas quando faz o cadastro e depois não retorna com novas informações.

O SocialU surge como uma solução. Não quer ser apenas um agregador de redes sociais, mas sim um portal para elas.

O serviço, que utiliza a tecnologia Adobe Air, é compatível com inúmeros serviços web 2.0 (Facebook, Myspace, Twitter etc.). Por isso, é possível fazer atualizações simultâneas em vários sites.

Outro diferencial do SocialU é que você pode “receber dinheiro por ser você”. Isso porque a página premia a sua participação. Para cada comentário, adição de amigo etc. você recebe “social dollars” (SD). Há ainda sorteios de produtos como laptops, playstations etc.

Por enquanto, só é possível utilizar o serviço via convite.

Imagem via flickr de BestiarioGallery

The Pretenders lança disco pela internet

O Pretenders está distribuindo seu novo álbum, Break Up The Concrete, gratuitamente. Entretando, entrega uma faixa por semana. Até o momento, três faixas foram liberadas.

Para baixar o disco, visite a página da banda www.thepretenders.com/. O álbum também sairá em CD no dia 7 de outubro.

Há espaço para inovação nos sites de busca

Na semana passada, um dos assuntos de maior destaque na imprensa foi o lançamento do Cuil, um site de busca feito por ex-funcionários do Google. Chamou atenção a acolhida do tema até em locais não-comuns para divulgar tal assunto.

Destacava-se as supostas qualidades do serviço, como fornecer buscas mais abrangentes e baseadas no contexto, e por isso mais relevantes que as do Google. O Cuil indexaria três vezes mais páginas do que o líder do segmento. Ao todo, 120 bilhões de sites.

De toda forma, no dia seguinte o enfoque mudou, centrando-se na crítica ao serviço, como trazer poucas respostas para os termos buscados. Características positivas do site, como não armazenar dados pessoais do usuário (prática do Google), já tinham sido esquecidos.

Afora isso, os serviços de busca estão ficando cada vez mais parecidos. Não me refiro aos resultados, mas sim à estruturação da informação. É necessário buscar novas propostas visuais. Nisso, o site Searchme (imagem acima), que foi lançado no começo desse ano em versão de teste, se sobressai. Com ele, é possível folhear os resultados da busca.

Há mais: procurando por vídeos, além de trazer o resultado, você pode assisti-lo sem visitar a página em que ele está hospedado. Bem mais interessante que o badalado – por um dia – Cuil.

Evidentemente, o foco de tais serviços deve ser a busca por informações de qualidade. E isso pode ser feito de forma mais atraente.

Compras online: saiba quais são as melhores lojas online e como descobrir o melhor produto

O serviço de comparação de preços BuscaPé divulgou uma lista com as lojas online que não são recomendadas para comprar. Para não cair em armadilhas futuras, o site faz algumas sugestões.

Já o Reclame Aqui trás um ranking mais completo: mostra as campeãs de denúncias e os bons comerciantes. Há também um ótimo comparativo de empresas. É só citar as opções que pensa em contratar e o RA faz a comparação entre eles.

Bom, já tenho acesso a boas práticas de compra, e para saber se a mercadoria vale a pena? Uma dica simples antes de comprar algum produto online é procurá-lo no site Reclame Aqui. Você vai ter acesso ao número de reclamações feitas (ou seja, vai saber se o produto dá muito problema) e o tipo de serviço prestado pelo SAC da empresa.

Outra opção é pesquisar na Amazon. A comunidade de clientes é bem engajada. As críticas são detalhadas. Com isso, você terá acesso a relatos de quem realmente utilizou o produto, e não apenas a análises de “especialistas” cuja experiência é limitada (avaliação apressada, baseada num breve período de uso).

No YouTube, você pode encontrar resenhas (pesquisa: nome do produto + review) e até saber a qualidade do produto: o volume da caixa de som, a qualidade da imagem da filmadora… Depois, é só clicar nas avaliações com melhores notas.

Há também vários sites segmentados que entregam resenhas bem completas: Dpreview.com (câmeras), GSM Arena (celulares inteligentes) etc.

 

Para mais dicas de compras online, clique aqui.