Girl Walk / All Day

Primeira parte de Girl Walk / All Day, conjunto de clipes para divulgar o novo álbum de mash-up do misturador Girl Talk (aka Gregg Gillis). O objetivo é ir além do vídeo musical tradicional, que normalmente abrange uma única faixa.

Por isso, essa saga de três dançarinos segue por 12 curtas, todos disponíveis online. Filmado em Nova York, o projeto foi financiado via Kickstarter. A obra, que ganhou uma bela descrição em formato linha do tempo, deve ser exibida como longa em espaços públicos.

cinema pós-industrial

“Em contraposição ao modelo dos polos de produção – grandes centros que concentram uma infraestrutura cinematográfica baseada em estúdios de produção -, a acessibilidade das tecnologias digitais apontou para um modo de produção baseado em redes, em que pequenos nódulos de produção são interligados através de relações fluidas, baseadas na flexibilidade e no dinamismo dos novos modos de produção. Existe, portanto, uma multiplicação de pequenos átomos de produção, gerando um acentramento dos processos de produção. Enquanto os polos se baseiam numa concentração geográfica, que geraria economias de escala e de escopo (Hollywood, Vera Cruz, Projac), as redes se estabelecem através de relações dinâmicas, de baixo custo e alta flexibilidade. Reduzindo enormemente os custos fixos, este modelo alternativo de produção se estrutura através da circulação dessas obras, possibilitada especialmente pela internet (YouTube, Vimeo) e pelos circuitos de difusão não-comerciais (cineclubes, festivais, itinerâncias). Ou ainda, em contraposição a um modelo de produção industrial, existe um cinema pós-industrial, conforme a expressão utilizada por Cezar Migliorin, realizado em regime colaborativo, à margem dos sistemas oficiais de legitimação.”

Marcelo Ikeda, crítico e pesquisador